TOP 5: 5+1 CDs de 2015

Fetty Wap

82f7a2ef
Eu não sou do tipo de pessoa que se liga em data de lançamento das coisas, então nunca parei pra realizar o ano em que o álbum Fetty Wap havia sido lançado. Tempos depois do sucesso de seu primeiro single, Trap Queen, eu comecei a ouvir suas múscas e enfim fiz o download do álbum. Aí esses dias, estava eu lá na minha galeria do iTunes e me deparo com um 2015 nas informações do álbum. Decidi, então que ele deveria entrar pra essa lista, porque desde que ouvi Trap Queen a primeira vez, não parei mais. A segunda música que eu conheci foi My Way e depois 679. Estas três músicas atingiram o patamar do repeat, aqui em casa, muito rápido.
Minha primeira impressão quando baixei o CD foi: “Ai que droga, todas as músicas são iguais.” E realmente, a primeira vista elas parecem ser bem iguais muito, devido ao estilo definido de Fetty Wap e sua voz extremamente singular. Foi aí que eu cismei com a segunda música do álbum: How We Do Things. Depois, não sei como, veio o meu vício na sétima faixa do álbum: Again. Acho que essas duas são as minhas preferidas mesmo.
Fica a dica aí pra você que tá doido pra ouvir um rap com partes mais cantadas e batidas mais ritmadas (;

 

 

25

920x920Vamos falar de coisa boa, vamos falar de Adele !
Quando essa mulher maravilhosa anunciou que o álbum não estaria disponível nas plataformas online eu já me preocupei. Acontece que as coisas demoram uma eternidade (ok, momento exagero) para chegar aqui no Brasil e eu ansiava muito pelo retorno da Adele (ela é minha inspiração gentyyy) e pelo lançamento deste álbum. Para a minha sorte, o CD foi lançado uma semana antes da black Friday, então na semana seguinte ele já estava disponível na lojas americanas aqui do bairro. Naquela sexta feira, 27/11/15, depois de infinitos minutos na fila, eu finalmente consegui a minha cópia do 25 (por R$12,90).

Uma vez, um produtor declarou que nós ouviríamos uma Adele diferente, em sua melhor versão (alguma coisa assim). O que eu percebi foi que aquele tom melodramático e as letras super tocantes ainda estão lá, mas as letras – agora – não parecem ser sobre um coração partido. Claro, você pode interpretá-las assim, mas as composições não s tratam bem disso (segundo a própria Adele) e cada um está livre para interpretá-las da forma que preferir.
A minha favorita é When we are Young, mas eu vivo cantarolando River Lea que é muito bonitinha também.

#1 to infinity

mariahcareynovoalbumUHUL MARIAHHHHHHHHH !
Gente, confesso que nunca liguei muito pra Mariah Carey não… Em 2005 eu amava We Belong Together; em 2009 eu era viciada em Touch My Body e depois em Obsessed. Um belo dia fui ouvir aquele cd  ‘Me…I am Mariah’ que ela lançou em 2014 e só gostei da música Faded.
Depois que ela cantou Infinity no BBMA de 2015, eu fiquei viciada nessa música e fui procurar sobre seus recentes lançamentos e dei de cara com esse álbum maravilhoso que engloba as 18 músicas número 1 da rainha + o novo single Infinity ! (Na versão brasileira as músicas Someday, I Don’t Wanna Cry e Thank God I Found You foram trocadas por Endless Love, Against All Odds e Without You).

As minhas favoritas são Infinity e Don’t Forget About Us mas  tenho um vício secreto por Vision of Love (que lhe fez alcançar os holofotes e eu não conhecia) e Love Takes Time porque são lindas de morrer e me dá vontade de cantar igual a ela hahahaha.

Trigga Reloaded

trey-songz-trigga-reloaded-55885f3ec711b

Vamos falar de hip hop, vamos falar de Trey Songz !!

Eu conheci o Trey Songz em 2009, assistindo o clipe de ‘Say Aah’  na antiga MTV Hits (quem aí lembra??). Depois daí não acompanhei a carreira do Trey, mas lembro que gostei da música que ele lançou para o filme Step Up ? ‘Already Taken’ e foi aí que eu procurei a ouvir mais as músicas dele.

Quando Trey Songz lançou o single Na Na, minha irmã veio correndo me mostrar e nós baixamos o  Trigga (álbum lançado em 2014). Quando eu mal me viciei nas musicas desse cd, ele me lança o tão amorzinho Trigga reloaded, que contém as mesmas músicas que o álbum Trigga (Touchin’, Lovin’ com a Nicki Minaj foi meu primeiro vício desse CD) e 4 inéditas (About you, Slow motion, Serve it up e Loving you).
Da versão reloaded a minha preferida do momento é About you, e creio que sempre será. Já tive um vício profundo em Loving You (até porque tem aquela voz maravilhosa do Ty Dolla $ign) e Slow Motion, mas não tanto quanto em About you.

 

 

How big, how blue, how beautiful

Florence-The-Machine-How-Big-How-Blue-How-BeautifulFlorence, uma criatura divina, com uma banda divina e que apareceu na minha vida em meados de 2010 com Dog Days Are Over mas que não cativou muito minha atenção. Tempo depois, após ter essa mesma música (e Shake It Out também) interpretada pelo Glee cast, eu comecei a me interessar pelo som da banda. Aí eu conheci Cosmic Love; descobri que You’ve Got The Love (que eu vivia cantarolando) era deles, e foi um amor só. Aí veio o Rock In Rio e pronto.
Esperei muito por How Big, How Blue, How Beautiful porque já fazia uns três ou quatro anos desde o último CD. Quando lançou a prévia da música que dá título ao álbum eu enlouqueci. O primeiro single ‘WhaT Kind Of Man’ tem um som um pouco diferente dos anteriores, mas o clipe me lembrou a mesma Florence “desesperada” do clipe de Lover to Lover. Depois eu conheci Ship to Wreck e, sério, foi amor à primeira vista! E então eu fiquei esperando ansiosamente o lançamento do CD, e corri pro spotify, e depois corri pra baixar…

O CD tem um pegada sombria (assim como o Cerimonials que é o álbum anterior), mas parece tratar de temáticas bem diferenciadas e tem um toque mais gótico único.  Ainda gosto muito de Ship to Wreck, mas andei viciada em Delilah e Queen of Peace (acho que essa sim é minha favorita), e, pra falar a verdade, andei viciada no álbum todo 😀

 

 

Non-Fiction

ne-yo-non-fictionNa minha opinão, esse sexto álbum de estúdio do Ne-Yo veio um pouco diferente dos outros. Claro, ainda existe toda aquela pegada R&B e aquela voz melódica maravilhosa, mas eu senti que as músicas transmitiam um Ne-Yo mais maduro desta vez, e as letras são bem consistentes! Não procurei saber a relação do título do álbum com as músicas, mas creio que quase 100% delas não contam uma história de ficção. Tem uma, a Threesome, que é cantada como uma historinha e parece bem fofa até você prestar atenção na letra kkkkkkkkk; e, prestando atenção, você sente que o que ele canta deve ter sido real…

Fiquei curiosa por esse CD quando o próprio cantor começou a postar fotos de fãs com seus exemplares do Non-Fiction em seu instagram (@neyo). Corri para ouvir algumas músicas e me deparei com One More (A MINHA PREFERIDA !!!). Depois descobri que She Knows e Money Can’t Buy (as quais já apresentavam clipe e eu conhecia) também estavam no CD. Time Of Our Lives (uma parceria com Pitbull) também está o CD e foi single promocional.

Séries que eu indico e que dominaram meu 2015

Eu queria fazer um top 5 bonitinho, mas durante o ano de 2015, apenas 3 séries ficaram martelando na minha cabeça e não me deixavam em paz cada vez que eu me mantinha desatualizada. No final deste ano, pela graça divina, fui abençoada com mais uma. Tentei começar uma outra pouco antes do Natal, mas juro, nosso relacionamento não durou nem 4 episódios.

Sem ordem de preferência, a primeira série da qual quero falar é Scandal.scandal banner season 4
Essa série divina e maravilhosa é uma criação da autora Shonda Rhimes (mesma criadora de Grey’s Anatomy) e que mostra, basicamente, a rotina de Olivia Pope (ex-assessora da Casa Branca e agora dona do Pope & Associates) e das pessoas que a cercam, em Washington, D.C.
Quando eu comecei a assistir a série, ela estava na primeira metade de sua 3ª temporada. Foi questão de umas duas semanas até que eu me atualizasse por completo, porque eu não tenho paciência para ver muitos episódios seguidos de uma mesma série no computador. De qualquer forma, as 3 primeiras temporadas são imensamente divinas ! Já a 4ª temporada me decepcionou um pouco. Achei que o rumo da história havia sido perdido, que os personagens não eram mais tão convincentes… Enfim, muitos sentimentos misturados hahahahha. E então, na 5ª temporada eu achei que tudo caminhava pra tomar um bom rumo again, mas aí aconteceu uma coisa que eu odiei. Foi tipo um BAM na minha cara (e não, eu não vou dar spoiler) e aí a série entrou em hiatos e eu to aqui escrevendo esse texto para vocês e esperando pacientemente o retorno da 5ª temporada no dia 11 de fevereiro de 2016.

 

Continuando nessa linha Shonda Rhimes, a próxima série é How to get away with murder que é muito minha, eu amo de paixão, mas quase nunca consigo enxergar as coisas porque o cenário – na maior parte das vezes – é muito escuro kkkkkkk.htgawm banner
Essa série conta a história de uma advogada, Annalise Keating, e está na metade de sua 2ª temporada.
Enquanto sua vida profissional é um sonho para qualquer aluno de Direito da Universidade de Middleton, sua vida pessoal é uma verdadeira bagunça. Talvez, inicialmente, não seja tão bagunçada assim, mas no decorrer da história, principalmente na 2ª temporada, vocês começam a perceber uma Annalise perdida, e até você mesmo que assiste a serie, fica desesperado com o que pode vir a acontecer.
Na 1ª temporada, a advogada e professora convoca 5 alunos para trabalharem em seus casos. Tudo anda muito bem até que acontece o inesperado e ninguém mais sabe o que fazer.
No momento, a série também se encontra em hiatus com previsão para 11 de fevereiro de 2016.

 

Chegou a vez da tão amada série de televisão Empire, que conta a história da família Lyon e é extremamente cativante (principalmente se você gosta de música, mais precisamente o rap/r&b/hip hop).

empire banner

Cookie Lyon é ex-mulher de Lucious Lyon que vem a ser o presidente da gravadora Empire (a qual Cookie ajudou a fundar). Juntos eles têm três filhos: André, filho mais velho que participa do setor administrativo da empresa; Jamal, filho do meio e cantor de r&b; e Hakeen, filho mais novo e esquentado, cantor de rap.
A primeira temporada começa com Cookie saindo da prisão (local onde ela ficou durante 17 anos) e querendo a parte dela na Empire. A partir daí começa a guerra entre Cookie e Lucious que passa por inúmeras bombas e bandeiras brancas.
A série mostra muito a realidade dos rappers e cantores de hip hop, e a relação que alguns deles tem com as ruas.
Não estou atualizada (creio que me faltam cerca de 3 episódios) mas sei que a série também está em hiatus

 

Saindo totalmente do padrão, a próxima série é: The Flash.the flash photo banner
Sério gente, eu to apaixonada por essa série. Eu tinha muito preconceito com série de super-herói as essa me pegou de um jeito que até agora eu to tentando entender.
Desde que anunciaram que Grant Gustin viveria Barry Allen (o Flash), eu coloquei na cabeça que devia assistir a esse seriado. Mas aí a 1ª temporada começou, acabou, a 2ª começou também e eu desisti… Mas aí o netfilx me fez o favor de adicionar a 1ª temporada completa, e assim que eu entrei de férias eu comecei a assistir; e adivinhem ?! Foi muito amor ao primeiro episódio HAUHAUSHAU, tanto que eu terminei 1ª temporada em 4 dias, e me atualizei na 2ª em 2.
O episódio piloto mostra a parte mais dolorosa da vida de Barry Allen e logo em seguida como ele veio a se tornar o famoso Flash.
Depois de ser atingido por um raio e ficar 2 meses em coma, Barry se assusta com suas novas habilidades e passa um tempo no S.T.A.R. Labs com a finalidade de aprender a controlar e aperfeiçoar esses novos movimentos.
Com a ajuda de Cisco, Caitlin e Dr. Wells, ele combate crimes e defende Central City dos ataques meta-humanos. Ah, além disso, ele conta também com Joe West (policial/detetive que se tornou seu pai de criação) e seu parceiro detetive Eddie.
No meio dessa ação toda, ainda temos tempo pra derreter toda vez que Barry chega perto de Iris West (filha do detetive Joe), sua melhor amiga, pela qual ele é apaixonado desde criança.
A série se encontra agora na metade da 2ª temporada, e no Brasil é transmitida pela Warner (canal fechado) e pela Globo (canal aberto).

 

Motivos pelos quais eu amo essa série e vocês também deveriam amar:

Scandal: Mostra como uma mulher negra pode transitar por cargos altíssimos e assumir diversos papéis, seja advogada, assessora, primeira dama, mulher apaixonada, pessoa comum. Scandal nos trás uma protagonista feminina e de pele negra e quebra todo o preconceito de ‘negros não merecem ter cargos altos’ ‘mulheres não conseguem lidar com política’ e por aí vai.

 

HTGAWM: Nós não podemos confiar em todo mundo. É isso que How to get away with murder nos certifica. Todos nós temos motivos e sabemos quando e como mentir. Fato é: todos são culpados até que se mostre ao contrário. E, sem querer ser repetitiva, a série também nos mostra que negros e mulheres podem atingir o patamar mais alto que eles quiserem !

 

Empire: A série é quase uma guerra e você decide de qual ado ficar, mas no final o laço familiar e o amor fraternal dá um jeito de vencer. Além disso, as músicas originais são M-A-R-A, e pra quem é viciado em música – assim como eu – só este motivo já basta.

 

The Flash: Pra quem fã do quadrinho eu nem preciso falar nada, mas para quem, assim como eu só via o Flash como um membro da Liga da Justiça e achava que ele não fazia diferença, essa serie mostra o contrário. Ela te convence de quão poderoso é esse dom de ser o “homem mais rápido do mundo” e como ele poderoso o suficiente para combater o mal. Isso tudo sem contar com o tanto de física que você aprende, e os palpites no coração toda vez que Barry Allen sorri e seus olhos fecham.

 

 

Vai passar o ano novo em casa ? Confira 7 dicas para aproveitar bem a noite

firework

E ae e ae ?! Belezinha ?!
Então, galeris, esse ano parece que eu vou esperar 2016 em casa mesmo. Isso não é um problema pra mim, sabe ?1 Minha vida inteira eu virei o ano em casa, com a minha família e não é nada ruim (principalmente por causa da ceia); mas nos últimos dois anos eu passei a virada do ano fora. De 2013 para 2014 eu fui pra praia e fiz exatamente NADA (só fiquei andando na areia enquanto a queima de fogos não começava e ainda fui obrigada a presenciar uma brigada daquelas no ônibus, às 4:30 da manhã); e de 2013 para 2014 foi em Niterói, no apartamento de um colega meu. Nos reunimos e fizemos uma festinha bem bacana, mas esse ano com preguiça de festejar nesse nível kkkk.

Trouxe umas dicas aqui pra quem vai passar ano novo sozinho ou com a família ou com alguns amigos ou whatever… Espero que ajude a vocês e ajude a mim também.

spotify-logo-horizontal-black

1- Monte, desde já, uma playlist (pode ser no spotify ou no pen-drive ou onde quiser) com várias músicas animadas e felizes que te animem na hora de esperar a virada do ano.

decoracao-ano-novo-1

2- Faça uma decoração bem estilo festa mesmo. Eu vi umas decorações com balões de gás Hélio que ficaram bem bacanas. Além disso vocês podem decorar a sala com flores brancas, bolas de árvore de natal espalhadas pela casa, enfeites simbolizando a contagem regressiva… (só não vou fazer post de DIY porque não sei fazer nada dessas coisas).

3- Compre bebidas gostosas e não se prenda à famosa ceia tradicional. Não precisa ser bebida que contenha álcool, a menos que você queira. Vale apostar no uso de taças bonitinhas e se quiser pode até fazer a decoração da mesa mais despojada, estilo festa americana.

4- Arrume-se. Não é porque você vai passar a virada na sala que você não vai se produzir um pouquinho né ??1 Claro, isso vai do gosto do freguês, mas se tiver dúvida, procure no google e/ou no youtube dicas de maquiagem e de como se vestir (se você acreditar nessas coisas, lembre-se de procurar o significado de cada cor).

27ONTHERUN-master675

5- Tá sentindo falta da televisão ligada ?! Esqueça a playlist e liga no canal BIS (pra quem tem sky) porque vai passar a turnê On the Run da B on C com o Jay Zê, mas se você não tem sky, deixa na globo mesmo e aproveita o  show da virada acompanhado da queima de fogos.

6- Falando em fogos, se você tem bichinhos de estimação (eu tenho 4 gatos e 1 cachorro <3) cuide para que eles se sintam protegidos na hora dos malditos fogos (que eu também odeio). Animais têm ouvidos muito sensíveis e se assustam fácil.

7- Depois dos fogos, se não quiser dormir, vale apostar em um jogo de tabuleiro para unir mais a família e os amigos ou vocês podem apelar para o netflix (ou, quem não tiver netflix procura na televisão mesmo ou assiste online) e fazer uma maratona de filmes e/ou séries.

Espero que aproveitem bem esse ano novo hein amigyssss ❤

Resenha: O Duque e Eu

Olá, amadys. To aqui fazendo essa resenha  (ou tentativa de resenha) ao som de How Will I Know versão Sam Smith. Prometi que ia fazer, não prometi ?!
Então, essa é a primeira vez que escrevo resenha de livro, por isso não sei se estou fazendo  isso corretamente. Também não fui pesquisar como fazer porque queria deixar mais a minha cara e tal…  Espero que vocês gostem 😀

DSCN3823_edited

O duque e eu é o primeiro livro da série Os Bridgertons, escrito por Julia Quinn e lançado, no Brasil, em 2013 (se não me engano) pela editora Arqueiro.
O livro trata, basicamente, da relação entre Simon Basset (o duque) e Daphne Bridgerton. É uma história de época (não lembro se o ano é definido ou não), então nos deparamos com uma Daphne louca para casar e ter filhos (esse é seu objetivo de vida). Rejeitada por todos os rapazes, Daphne dá de cara com Simon (amigo de seu irmão mais velho Anthony) e um belo dia eles resolvem – para fugir da pressão da sociedade – fingir que o duque a iria cortejar. Daí eles passam por altos e baixos pelo fato de Daphne querer muito casar e Simon não poder dar a ela o que ela tanto quer.

DSCN3827_edited

Sinopse no verso do livro:

“Simon Basset, o irresistível duque de Hastings, acaba de retornar a Londres depois de seis anos viajando pelo mundo. Rico, bonito e solteiro, ele é um prato cheio para as mães da alta sociedade, que só pensam em arrumar um bom partido para suas filhas.

Simon, porém, tem o firme propósito de nunca se casar. Assim, para se livrar das garras dessas mulheres, precisa de um plano infalível.

É quando entra em cena Daphne Bridgerton, a irmã mais nova de seu melhor amigo. Apesar de espirituosa e dona de uma personalidade marcante todos os homens que se interessam por ela são velhos demais, pouco inteligentes ou destituídos de qualquer tipo de charme. E os que têm potencial para ser bons maridos só a veem como uma boa amiga.

A ideia de Simon é fingir que a corteja. Dessa forma, de uma tacada só, ele conseguirá afastar as jovens obcecadas por um marido e atrairá vários pretendentes para Daphne. Afinal, se um duque está interessado nela, a jovem deve ter mais atrativos do que aparenta.

Mas à medida que a farsa dos dois se desenrola, o sorriso malicioso e os olhos cheios de desejo de Simon tornam cada vez mais difícil para Daphne lembrar que tudo não passa de fingimento. Agora ela precisa fazer o impossível para não se apaixonaram por esse conquistador inveterado que tem aversão a tudo o que ela mais quer na vida.

Primeiro dos oito livros da série Os Bridgertons, O duque e eu é uma bela história sobre o poder do amor, contada com o senso de humor afiado e a sensibilidade que são marcas registradas de Julia Quinn, autora com 8 milhões de exemplares vendidos.”

 DSCN3834_edited

O que eu achei do livro:

É um livro bom, de verdade. Pra quem gosta de romance, ele é muito bom, principalmente pra quem tá cansado daqueles romances cheios de tragédia e com muito drama (neste caso eu achei o livro muito bom, vale ressaltar).

No início da história eu fiquei com um pouco de preguiça porque a autora detalha muito a história do Simon, mas assim que isso acaba e a história começa a andar tudo fica M-A-R-A.
Anthony, o irmão mais velho, me irritou durante a história toda. Um saco ! Simon me irritou um pouquinho também, e assim que eu cheguei no capítulo 19 ou 20 (não lembro muito bem, mas foi mais pro final) eu queria matar a Daphne por causa de uma parada lá. Ridícula ! Mas eu torcia bastante pelos dois e acho que meu personagem preferido mesmo é o Simon… Ah, e a Violet também, a mãe dos Bridgertons (ela me lembra a Salomé da novela das 18:00 hora ‘Além do tempo’ só que na primeira versão há 150 anos atrás kkkkkkkkkk).

Não sei se vou comprar o próximo livro tão cedo porque quero ler vários outros livros antes de entrar de cabeça numa série/saga; mas é isso e eu espero que vocês se animem pra ler e venham me contar tudo aqui nos comentários.

Domingo de sono + partitura + leitura + indicação de música

Hoje eu dormi à beça. Acho que nunca dormi tanto em um domingo.
Acordei quase meio dia e fiquei enrolando na cama até uma  meia, mais ou menos… Isso tudo porque fiquei até uma e pouca da manhã rindo com esse vídeo da Inês Brasil + Mc Formiga + Rafinha Bastos (https://www.youtube.com/watch?v=4K8oOlQT_Z8).

Depois do almoço eu voltei pro meu quarto afim de escrever aqui para o blog, mas adivinhem ?! Meu notebook descarregou! Eu comecei a ficar irritada, até porque estava calor, então resolvi estudar partitura (um dia falo sobre meu curso de canto aqui pra vocês) e até que eu tive facilidade com o dever em questão…
DSCN3818_edited

Ok. Tava cansada de fazer a mesma cosa repetidas vezes (é, meu professor passa um milhão de exercícios iguais) então resolvi deitar e ler. Faltavam 2 capítulos para eu terminar O Duque e Eu da Julia Quinn, e finalmente eu consegui terminar !!
Sério gente, eu to lendo esse livro desde o final de julho, início de agosto (quando terminou minhas férias). Eu até li bastante capítulos, mas a correria da faculdade me fez parar totalmente a leitura, e eu só consegui retomá-la agora. O livro é muito bom. É romance, então tem uma certa melação sim, mas é bem legal. To preparando uma resenha com carinho pra vocês (mentira, eu só venho pensando nela faz 2 semanas, mas assim que der vou escrever sobre o livro) e aí eu posto com muito amor (;

DSCN3821_edited

Para o post não ficar muito sem assunto, resolvi indicar um som pra vocês.
Depois que eu terminei minha leitura, caí no sono de novo (umas três, quatro da tarde) e só acordei sete e pouca da noite (mas sei que choveu hoje /todascomemora). Já levantei pensando em fazer post sobre o meu dia (que não foi muito construtivo), mas senti que faltava alguma coisa, então quando fui tomar banho, lembrei do post que eu to fazendo para vocês onde eu listo minhas músicas mais ouvidas no final do ano e descobri que ESQUECI DE COLOCAR TINASHE. /meprendam
Tinashe é uma cantora estadunidense que lançou seu primeiro álbum ‘Aquarius’ em 2014. O primeiro single foi 2 On (música maravilhosa corram para escrutar/dançar), mas a primeira música que eu ouvi foi All Hands On Deck (outra maravilhosa. Tenho nem palavras). Lançou há pouco tempo, sua colaboração com Chris Brown, Player (muito boa também, o clipe então… nem se fala); mas creio que o single mais recente é Party Favors com Young Thug.

Assista ‘All Hands On Deck”

Inês Brasil e o Make Love

“…se for pra fazer guerra não me chama que eu não vou/ make make make love é muito melhor demorou.”

MakeLoveanuncio

Se você não sabe quem é essa diva do momento, a.k.a Inês Brasil, clica no link (https://www.youtube.com/watch?v=3adl33jR6-s) e aproveita o vídeo que fez dela um sucesso viral.

Inês Brasil tornou-se fenômeno na web ao se inscrever (pela quinta vez consecutiva) no Big Brother Brasil. Seu vídeo de inscrição teve mais de DOIS MILHÕES DE ACESSOS, e com isso, Inês começou sua carreira de cantora fazendo shows por diversas boates no Brasil inteiro.
Alegando ser cantora, compositora e professora de dança, Inês foi mulata no Oba Oba do Sargentelli e posteriormente se casou com um alemão (que às vezes ela diz ser francês) indo fazer sua vida na Europa. Lá ela passou por momentos bons e ruins e criou, com muito esforço, suas duas filhas (Monique e Julia).
De volta ao Brasil, Inês alcança os holofotes, participa de vários programas de televisão, grava seu primeiro álbum (ela é uma cantora indie. Sério ! E se vocês não acreditam corram no Wikipédia, tá escrito lá: gravadora independente) e realiza diversos shows; recentemente conseguiu, com a ajuda de seus fãs, uma página no Grammy.
No último mês de outubro foi lançado seu mais novo clipe: Make Love (uma canção agradável e divertida, mas extremamente chiclete).

Assista ao clipe:

Feliz Natal + Sam Smith In the Lonely Hour Drowing Shadows Edition

DSCN3809_edited

TO NUMA FELICIDADE QUE MAL CABE EM MIM !!
Sim, ganhei meu tão sonhado álbum ‘In the lonely hour’ do Sam Smith. E como juros pela eterna espera desse tão querido CD, ainda foi a versão ‘Drowing shadows edition (ou Deluxe, para aqueles mais práticos).

Esse post não é sobre a vida/carreira do Sam (até porque eu não sei muito sobre este tópico). Se vocês estiverem curiosos, procurem no google, ajudará muito.

Whatever… voltando aqui, eu vim para falar do CD. Ele vem com dois discos. No disco 1 estão todas as músicas que estavam presentes na primeira edição do CD – das quais eu ainda não consegui definir minha preferida, embora eu ache que Make it to me seja uma forte candidata. No disco 2 temos alguns covers como ‘Love is a losing game’, e algumas de suas músicas originais em formato acústico ou ao vivo. E ALÉM DISSO A TÃO MARAVILHOSA ‘DROWING SHADOWS’ QUE FOI A MÚSICA MAIS TRISTE QUE ELE JÁ ESCREVEU /todaschoradeemoçaum

vou usar 1_edited

vou usar 2_edited

vou usar 3_edited

Achei o preço meio salgado aqui no Rio. Ele (o álbum) chegou na lojas americanas do meu bairro há mais ou menos uma semana sob o preço de R$40,00. Eu estava esperando abaixar, porque não sei se vocês sabem, mas universitária só tem dinheiro pra passagem e almoço; mas de repente – no Natal para ser mais exata – minha mãe me surpreendeu com esse presente e EU TO MEGA FELIZZZZZZZ !!!

Se vocês não conhecem o som do Sam, eu super indico, mas já aviso de antemão que a maioria das músicas são românticas, quiçá transparecem uma dor de cotovelo, então… De qualquer forma ele é mega talentoso e vale a pena separar um tempinho para escutar suas músicas.