Séries que eu indico e que dominaram meu 2015

Eu queria fazer um top 5 bonitinho, mas durante o ano de 2015, apenas 3 séries ficaram martelando na minha cabeça e não me deixavam em paz cada vez que eu me mantinha desatualizada. No final deste ano, pela graça divina, fui abençoada com mais uma. Tentei começar uma outra pouco antes do Natal, mas juro, nosso relacionamento não durou nem 4 episódios.

Sem ordem de preferência, a primeira série da qual quero falar é Scandal.scandal banner season 4
Essa série divina e maravilhosa é uma criação da autora Shonda Rhimes (mesma criadora de Grey’s Anatomy) e que mostra, basicamente, a rotina de Olivia Pope (ex-assessora da Casa Branca e agora dona do Pope & Associates) e das pessoas que a cercam, em Washington, D.C.
Quando eu comecei a assistir a série, ela estava na primeira metade de sua 3ª temporada. Foi questão de umas duas semanas até que eu me atualizasse por completo, porque eu não tenho paciência para ver muitos episódios seguidos de uma mesma série no computador. De qualquer forma, as 3 primeiras temporadas são imensamente divinas ! Já a 4ª temporada me decepcionou um pouco. Achei que o rumo da história havia sido perdido, que os personagens não eram mais tão convincentes… Enfim, muitos sentimentos misturados hahahahha. E então, na 5ª temporada eu achei que tudo caminhava pra tomar um bom rumo again, mas aí aconteceu uma coisa que eu odiei. Foi tipo um BAM na minha cara (e não, eu não vou dar spoiler) e aí a série entrou em hiatos e eu to aqui escrevendo esse texto para vocês e esperando pacientemente o retorno da 5ª temporada no dia 11 de fevereiro de 2016.

 

Continuando nessa linha Shonda Rhimes, a próxima série é How to get away with murder que é muito minha, eu amo de paixão, mas quase nunca consigo enxergar as coisas porque o cenário – na maior parte das vezes – é muito escuro kkkkkkk.htgawm banner
Essa série conta a história de uma advogada, Annalise Keating, e está na metade de sua 2ª temporada.
Enquanto sua vida profissional é um sonho para qualquer aluno de Direito da Universidade de Middleton, sua vida pessoal é uma verdadeira bagunça. Talvez, inicialmente, não seja tão bagunçada assim, mas no decorrer da história, principalmente na 2ª temporada, vocês começam a perceber uma Annalise perdida, e até você mesmo que assiste a serie, fica desesperado com o que pode vir a acontecer.
Na 1ª temporada, a advogada e professora convoca 5 alunos para trabalharem em seus casos. Tudo anda muito bem até que acontece o inesperado e ninguém mais sabe o que fazer.
No momento, a série também se encontra em hiatus com previsão para 11 de fevereiro de 2016.

 

Chegou a vez da tão amada série de televisão Empire, que conta a história da família Lyon e é extremamente cativante (principalmente se você gosta de música, mais precisamente o rap/r&b/hip hop).

empire banner

Cookie Lyon é ex-mulher de Lucious Lyon que vem a ser o presidente da gravadora Empire (a qual Cookie ajudou a fundar). Juntos eles têm três filhos: André, filho mais velho que participa do setor administrativo da empresa; Jamal, filho do meio e cantor de r&b; e Hakeen, filho mais novo e esquentado, cantor de rap.
A primeira temporada começa com Cookie saindo da prisão (local onde ela ficou durante 17 anos) e querendo a parte dela na Empire. A partir daí começa a guerra entre Cookie e Lucious que passa por inúmeras bombas e bandeiras brancas.
A série mostra muito a realidade dos rappers e cantores de hip hop, e a relação que alguns deles tem com as ruas.
Não estou atualizada (creio que me faltam cerca de 3 episódios) mas sei que a série também está em hiatus

 

Saindo totalmente do padrão, a próxima série é: The Flash.the flash photo banner
Sério gente, eu to apaixonada por essa série. Eu tinha muito preconceito com série de super-herói as essa me pegou de um jeito que até agora eu to tentando entender.
Desde que anunciaram que Grant Gustin viveria Barry Allen (o Flash), eu coloquei na cabeça que devia assistir a esse seriado. Mas aí a 1ª temporada começou, acabou, a 2ª começou também e eu desisti… Mas aí o netfilx me fez o favor de adicionar a 1ª temporada completa, e assim que eu entrei de férias eu comecei a assistir; e adivinhem ?! Foi muito amor ao primeiro episódio HAUHAUSHAU, tanto que eu terminei 1ª temporada em 4 dias, e me atualizei na 2ª em 2.
O episódio piloto mostra a parte mais dolorosa da vida de Barry Allen e logo em seguida como ele veio a se tornar o famoso Flash.
Depois de ser atingido por um raio e ficar 2 meses em coma, Barry se assusta com suas novas habilidades e passa um tempo no S.T.A.R. Labs com a finalidade de aprender a controlar e aperfeiçoar esses novos movimentos.
Com a ajuda de Cisco, Caitlin e Dr. Wells, ele combate crimes e defende Central City dos ataques meta-humanos. Ah, além disso, ele conta também com Joe West (policial/detetive que se tornou seu pai de criação) e seu parceiro detetive Eddie.
No meio dessa ação toda, ainda temos tempo pra derreter toda vez que Barry chega perto de Iris West (filha do detetive Joe), sua melhor amiga, pela qual ele é apaixonado desde criança.
A série se encontra agora na metade da 2ª temporada, e no Brasil é transmitida pela Warner (canal fechado) e pela Globo (canal aberto).

 

Motivos pelos quais eu amo essa série e vocês também deveriam amar:

Scandal: Mostra como uma mulher negra pode transitar por cargos altíssimos e assumir diversos papéis, seja advogada, assessora, primeira dama, mulher apaixonada, pessoa comum. Scandal nos trás uma protagonista feminina e de pele negra e quebra todo o preconceito de ‘negros não merecem ter cargos altos’ ‘mulheres não conseguem lidar com política’ e por aí vai.

 

HTGAWM: Nós não podemos confiar em todo mundo. É isso que How to get away with murder nos certifica. Todos nós temos motivos e sabemos quando e como mentir. Fato é: todos são culpados até que se mostre ao contrário. E, sem querer ser repetitiva, a série também nos mostra que negros e mulheres podem atingir o patamar mais alto que eles quiserem !

 

Empire: A série é quase uma guerra e você decide de qual ado ficar, mas no final o laço familiar e o amor fraternal dá um jeito de vencer. Além disso, as músicas originais são M-A-R-A, e pra quem é viciado em música – assim como eu – só este motivo já basta.

 

The Flash: Pra quem fã do quadrinho eu nem preciso falar nada, mas para quem, assim como eu só via o Flash como um membro da Liga da Justiça e achava que ele não fazia diferença, essa serie mostra o contrário. Ela te convence de quão poderoso é esse dom de ser o “homem mais rápido do mundo” e como ele poderoso o suficiente para combater o mal. Isso tudo sem contar com o tanto de física que você aprende, e os palpites no coração toda vez que Barry Allen sorri e seus olhos fecham.

 

 

Anúncios